sábado, 5 de setembro de 2015

Efeito Pixuleco: Dirceu aceitará puxar cadeia sozinho ou levará o verdadeiro chefão junto?

Efeito Pixuleco: Dirceu aceitará puxar cadeia sozinho ou levará o verdadeiro chefão junto?


2a Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Condenado no Mensalão, agora José Dirceu de Oliveira e Silva está prestes a se tornar réu, também, no Petrolão. A Operação Pixuleco, deflagrada em 3 de agosto, termina o mês do desgosto com resultados assustadores para a petelândia. O ex-guerreiro do povo brasileiro José Dirceu foi denunciado pelo Ministério Público Federal nos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Agora, a pergunta que não quer calar: com chances de ficar preso mais tempo, por causa da reincidência criminosa pregada pelo MPF, Dirceu aguantará puxar cadeia sozinho ou levará junto o verdadeiro chefão de todos os esquemas, que qualquer bebê de colo ou bebum de bar sabe quem é? O cerco se fecha...

O Procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, foi magistral na denúncia ao velho guerreiro da petelândia: "José Dirceu foi um importante líder político brasileiro. Ele representou, por muito tempo, os ideias de muitos. Aqui nós não julgamos José Dirceu. Nós não julgamos pessoas ouvidas, mas fatos e atos concretos. Não está em questão quem foi José Dirceu ao longo da História. Não está em questão o que ele fez pela consolidação da democracia no nosso país. Mas sim se ele praticou fatos que são crimes em um contexto determinado. As provas, as evidências, nos dizem que sim. Que ele praticou crimes graves e deve ser responsabilizado como qualquer pessoa porque nós vivemos numa República".

Deltan Dallagnol repetiu sua tese sobre nossa tragédia política diante dos escândalos de corrupção: "A democracia sofre um ataque toda vez que o governo não é exercido para o povo. A corrupção em larga escala desvirtua o exercício do poder que devia ser exercido em benefício da população, mas é exercido em benefício dos próprios governantes e depois influentes. O que a Lava-Jato revela é o exercício de um governo em benefício de interesses particulares. De governantes que se enriquecem e de um capitalismo bicompadrio. Em que alguns empresários querem lucrar a qualquer custo se aproximam de pessoas de influência, de agentes públicos, para benefício mutuo de seus próprios bolsos em prejuízo a população. Hoje nos apresentamos mais um capítulo de uma história em que mostramos o exercício de um poder para fins particulares".

Dirceu já tinha sido apontado pela Polícia Federal, terça-feira passada, como um dos organizadores do esquema de pagamento de propina da Petrobras. A investigação da PF relatou que Dirceu ‘capitaneava quadrilha’: “Observa-se portanto que o fato de ter deixado o posto de ministro da Casa Civil e a cassação do mandato de deputado federal não serviram para retirar do investigado José Dirceu todo o poder político que o mesmo angariou no primeiro mandato do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, sendo o homem forte do primeiro mandato”.  

O Comissário petista Dirceu dança junto com o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto e mais 15 pessoas por acusações de movimentar, ilegalmente, mais de R$ 60 milhões em propina nos negócios entre o clube de empreiteiras e a Petrobras. Também estão entre denunciados Roberto Marques, apontado como braço-direito do ex-ministro; Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão e sócio de Dirceu e Camila Ramos de Oliveira e Silva, filha do ex-ministro. Também foram denunciados Fernando Moura, Olavo Moura, Milton Pascowitch, José Adolfo Pascowitch, Cristiano Kok, José Antunes Sobrinho e Gerson Almada e Julio César Santos. Sobrou também para a arquiteta Daniela Leopoldo e Silva Facchini, que reformou a casa de Dirceu em Vinhedo (SP), o consultor e lobista Julio Camargo, e o ex-gerente da Petrobras e delator Pedro Barusco.

O cerco se fecha... O Pixuleco 13-171 que se cuide...