quinta-feira, 10 de setembro de 2015

BRASÍLIA FERVE! CRISEMILITAR FOI COLOCADA” NO COLO” DE DILMA


comandantes...

BRASÍLIA FERVECRISEMILITAR FOI COLOCADA” NO COLO” DE DILMA

Os assuntos que envolvem as Forças Armadas no Brasil ou são tratados de forma superficial ou com desdem. A desculpa sempre é a mesma: MILITARES NUNCA MAIS!
Nunca mais uma OVA… Desde fevereiro de 1964,  o ambiente político não apresentava condições tão visíveis para a nação de que o governo “apodreceu”. Ministros acusados formalmente de participar de escândalos de corrupção, de apropriação de bens públicos e da prática de crimes de bandidos “chinelões”. Os Presidentes do Senado da República e da Câmara dos Deputados legislando sob o “manto da desconfiança” e Senadores e Deputados se esquivando do fogo cruzado disparado pela operação Lava Jato.
Ontem, terça, 08 de setembro, quando os termos do Decreto 8.515 passaram a ser de  “domínio público”, não mais  foi possível esconder seu “violento conteúdo” . Avança sem dó nem piedade no núcleo do artigo 84 da Constituição e “esfarela” todo o poder republicano estatuído no artigo 142 da Carta Constitucional Brasileira. Desde então, o Brasil passou a discutir quem, de fato, está a comandar as Forças Armadas.
Jamais, em momento nenhum da República se imaginaria que homens formados na Escola Naval – Almirante de Esquadra Eduardo Bacelar Leal Ferreira – em Agulhas Negras – General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Boas e na Academia da Força Aérea – Tenente Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato fossem  obrigados a prestar continência para uma líder do MST – Movimento dos Sem Terra – no caso, a Secretária Executiva do Ministério da Defesa, a enfermeira Eva Maria Cella Dal Chiavon, por sinal, mulher de ‘CHICÃO”, o lugar- tenente de José Pedro Stédeli.
Ontem mesmo os Comandantes Militares se encontraram em Brasilia, diante da possibilidade de um alerta 5.  Para a reunião emergencial, nada mais óbvio que convidassem para participar o Ministro da Defesa, Jaques Wagner que prometeu comparecer.  Compareceu nada. Deu “bolo” nos Chefes Militares alegando ter sido chamado com urgência pela Presidente da República. Isso é coisa de bombeiro fugindo do incêndio. Ou porque não tem água, ou porque não é do ramo e ficou com medo de se queimar.
A Presidente Dilma não necessitava enfrentar mais uma hecatombe dessa envergadura. Seus assessores diretos colocaram sobre a sua mesa de trabalho uma lamparina que vai “queimar” enquanto for inquilina do Palácio do Planalto. Todo o dia, quando sentar na sua cadeira,  vai se deparar “com o fogo incandesceste” que a CUMPANHERA EVA  “pariu”!