terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Quem grampeou a ministra Carmem Lúcia?

Quem grampeou a ministra Carmem Lúcia?


Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A ministra Carmem Lúcia, próxima "Presidente" do Supremo Tribunal Federal, está indignada porque foi vítima, recentemente, de interceptações telefônicas ilegais. O fato absurdo e criminoso é investigado, em sigilo, pela inteligência da Polícia Federal, do STF e do Gabinete de Segurança Institucional. Outros ministros da Corte Suprema também foram alvo dos "grampos" - crime muito comum cometido na área do Detrito Federal e adjacências dos poderes federais. Se os escroques fazem isto com membros do Judiciário, imagina do que não são capazes de fazer com outros adversários ou inimigos...

Mais essa ação criminosa das gestapos tupiniquins, invadindo a privacidade até de semideuses do STF, é uma prova do clima de desespero que tende a se agravar com o início do ritual para um processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff. Quem já está com as barbas de molho porque vai ser o alvo preferencial da ira da petelândia é o vice-Presidente da República. Prestes a anunciar uma espécie de "rompimento branco" com o desgoverno, porém liberando seus aliados próximos para o abandono imediato e explícito do PTitanic, Michel Temer vai ser bombardeado pela máquina de dossiês comandada pela cúpula do Partido dos Trabalhadores. Especula-se que negócios de Temer na área de gás e a aquisição de um imóvel de luxo por sua esposa Marcela podem render dissabores ao maçom inglês adormecido - doido para sentar no troninho da Dilma.     

Enquanto os "poderosos" se matam pela hegemonia nos podres poderes, assistimos, nas últimas semanas, nos noticiários de toda a mídia uma situação que expõe de forma avassaladora o grande paradoxo que o Brasil vive atualmente. De um lado, a economia brasileira passa pela maior crise em décadas. A recessão está arrasando empregos, setores inteiros da economia brasileira e trazendo o desespero a milhões de famílias que começam a passar necessidades.

Empresários se veem catatônicos com a falta de perspectivas para seus negócios:
1.   A crise já encolheu as encomendas;
2.   A inadimplência e os juros altos já devoraram o Capital de Giro;
3.   As demissões alimentaram milhões de ações trabalhistas, que podem custar a própria sobrevivência da empresa;
4.   Os 92 impostos, taxas e tributos vão devorar o que sobrar.
O ano de 2015 vai se encerrar com o maior encolhimento do PIB que o Brasil já viveu em décadas. Por outro lado, em Brasília, as ditas “autoridades” só debatem temas que interessem a sua própria sobrevivência. Um fenômeno patético. Tudo gerado por uma estrutura podre.

É um escândalo após o outro. São tantos casos de corrupção que aparecem todos os dias que podemos chamar de PILHAGEM GENERALIZADA. Nenhum órgão público funciona como deveria. Em um emaranhado de Normas, Regras, Leis, Decretos e Burocracia, a maioria dos cidadãos se transforma em escravos e reféns. Todos os brasileiros que não pertencem à máquina burocrática pagam o pato. Pobre daquele cidadão ou empresa que estiver precisando de qualquer órgão público.

Nenhum político pauta o debate ou suas ações para tirar o Brasil desta crise. Ao contrário, todos eles só debatem sobre mais aumentos de impostos, distribuições de cargos, conchavos e indicações de apadrinhados para participar da PILHAGEM. Os políticos não podem fazer algo diferente. A maioria esmagadora deles faz parte dos esquemas de comando do crime organizado. Ou operam as organizações criminosas diretamente, ou são indiretamente beneficiados e financiados por elas.

Quanto paradoxo. Enquanto nós brasileiros ficamos desempregados, inadimplentes, somos vítimas da bandidagem que assola nossas ruas e cercam nossos filhos e nossas famílias, as ditas “autoridades” brigam entre si na disputa de espaço para PILHAREM nossa Pátria. Tratam o Brasil como se fossemos uma carcaça, uma carniça, um espólio a ser explorado no maior descaramento.

Nosso Congresso Nacional passou a semana toda debatendo temas de seu próprio interesse. O vice-presidente já está em São Paulo negociando com o PSDB um governo de transição. A Câmara dos Deputados se prepara para julgar seu Presidente – Eduardo Cunha – e ao mesmo tempo julgar a chefe do poder Executivo. Os articuladores operam indiferentes ao que acontece com o Brasil real. Indiferentes ao aumento assombroso da criminalidade, da crise econômica, da explosão do desemprego e do caos da saúde.

Para os milhões de desempregados, tanto faz Dilma, Temer ou José Ruela. Para quem tem um familiar assassinado brutalmente pelos criminosos que andam livremente pelas ruas das nossas cidades, a corrupção generalizada é o alvo a ser erradicado. Isto ficou comprovado pela última pesquisa Datafolha, realizada nos dias 25 e 26 de novembro.

Combater essa corrupção generalizada significa esterilizar por completo todo o poder público no Brasil. Aplicar doses cavalares de antibióticos morais, éticos e impor novas regras que protejam o país e os brasileiros desta verdadeira pilhagem.

Nenhuma dessas pseudo “autoridades” explica ao cidadão brasileiro onde se encaixam esses debates políticos inúteis, hipócritas e indecentes onde os discursos soam como GARGALHADAS DE HIENAS festejando a pilhagem de mais uma carniça. O Brasil com certeza vai provar a estas hienas que está muito vivo e que os carniceiros encastelados no Estado Brasileiro serão punidos.

Os integrantes e sócios das diversas organizações criminosas covardemente a maior PILHAGEM que o Brasil já sofreu. Transformaram cada estatal, cada repartição pública, cada balcão de atendimento à população em um indecente local de NEGOCIATAS e CHANTAGENS. Todos os dias aparecem escândalos provando esta realidade na esfera municipal, nos governos estaduais e no governo federal. Perdem-se as contas de tanta corrupção denunciada.

O que menos importa nesses lugares é o interesse da nossa Pátria e dos nossos cidadãos. A indiferença com que as ditas “autoridades” se comportam em relação à avassaladora crise que passa o Brasil, será o fim delas. Afinal, quem não serve ao Brasil não serve para o Brasil.  

Todos os exemplos históricos comprovam que quando as zelites governantes se desconectaram da realidade, vivendo nababescamente em seus mundos e castelos, indiferentes à fome, miséria e violência das populações, o desfecho foi a expulsão – violenta ou não – desta falsa elite com a instalação de novos padrões políticos, morais e éticos.

Para o Brasil, este momento já chegou. Àqueles que não acreditarem ou não quiserem acreditar, aguardem os próximos acontecimentos. O fenômeno super importante, já em andamento, é uma gigantesca mobilização de jovens, interligados via redes sociais, tendo como armas básicas seus smartphones. Eles já estão mobilizados para reivindicar e lutar pelas transformações. Já perceberam que, se não agirem, não terão futuro próspero.

Nossas zelites, que se comportam como hienas esfomeadas e enlouquecidas, estão com os dias contados. Até quando, os segmentos esclarecidos da sociedade brasileira permitirão que tal aberração aconteça? O tempo parece estar se esgotando. Os jovens já estão reagindo. As pré-condições para a Intervenção Constitucional, pelo Poder Instituinte do cidadão-eleitor-contribuinte, vão ganhando ganhando maturidade.

O jogo é jogado. Mas não pode ser disputado na regra do jogo do desgoverno do crime organizado. Para eles, o lema tem de ser: "Derrota na Guerra".

Releia o artigo de domingo: Dilma e o Negão da Chatuba


Novo no cargo


Marcus Vinicius da Silva Vieira acaba de assumir o cargo de CEO (Chief Executive Officer) da Rede Record.

Aos 51 anos, Vieira é Bispo da Igreja Universal do Reino de Deus e muito próximo do Bispo Edir Macedo, proprietário da Record.

Além de ter sido um propagador da IURD no exterior, Vieira é casado com Angela Cardoso Vieira, secretária de confiança do Bispo Macedo.

Temer tem tudo a temer


Filho pródigo