domingo, 1 de novembro de 2015

É muito importante que os militares manifestem-se para a Nação

É muito importante que os militares manifestem-se para a Nação


Por Paulo Chagas

Caros amigos: Os militares têm o direito e o dever de ter e de expressar suas opiniões. Prática necessária ao momento e que causa espanto a alguns brasileiros cujas consciências os fazem temer a “voz das legiões”. 

Os militares são cidadãos com direito a votar e a participar da vida pública. Nunca foram alijados do processo político nacional ou estranhos no espectro social brasileiro, merecem o respeito e a admiração de seus patrícios e, jamais, a condenação ao silêncio eterno.

A democracia, salva por eles das garras dos que queriam o Brasil transformado em uma enorme Cuba, atrasada e reprimida, garante a todos o direito de pensar, querer, falar e defender suas ideias e anseios. Os que temem a opinião dos militares são os mesmos que têm enganado o povo com mentiras e meias verdades. São, de fato, os inimigos da democracia e da liberdade, valores pelos quais os soldados juram sacrificar até a vida, se preciso.

Os pressupostos constitucionais, os poderes constituídos, as instituições, a soberania e a própria sociedade são o alvo da dedicação exclusiva daqueles a quem esta mesma sociedade confia o poder de suas armas. Os brasileiros sabem que as suas Forças Armadas são democráticas por formação e confiam nelas apesar do empenho de seus inimigos para desmoralizá-las e demonizá-las.

Para os que ainda não enxergaram isto, ouvir a opinião dos militares, mesmo que no ambiente reservado de uma solenidade ou de um quartel, é interpretado como constrangimento, desobediência e indisciplina, quando, na verdade, é, apenas, a prática da cidadania e do dever de acompanhar a conjuntura e de estar atento às ameaças que se avizinham ou pairam sobre a Nação. Alertá-la para o perigo é uma decorrência dessa prática e desse dever.

A confiança e o prestígio que a sociedade dedica aos militares lhes dão um honesto e significativo poder de convencimento que põe em pânico os que por desprezível atavismo eternamente conspiram contra a liberdade.

Os princípios e os valores cultivados na caserna e ensinado nas escolas militares os tornam imunes às ambições que levaram o Brasil ao desastre econômico e político e os fazem confiáveis para a missão de manter os imorais e a sua imoralidade ao alcance das suas vistas.

Eles estão e estarão sempre atentos à vida nacional e aos rumos que a ela são dados pela conjuntura interna e externa e os brasileiros de bem sabem que podem confiar em suas atitudes e em seus princípios, pois são estas atitudes e princípios que asseguram o seu caráter democrático e o seu apego à liberdade.

A Nação sabe que para os militares o Brasil está, e sempre esteve, acima de tudo!


Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva. = Nenhuma ditadura serve para o Brasil.