sexta-feira, 11 de março de 2016

Teste do TSE detecta risco de adulteração no resultado de urna eletrônica

Teste do TSE detecta risco de adulteração no resultado de urna eletrônica

Presidente Dias Toffoli afirmou que técnicos resolverão as falhas antes das eleições municipais.
Foto: Divulgação/TSE
Foto: Divulgação/TSE
O teste público encerrado nesta quinta-feira, dia 10, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para detectar vulnerabilidade no sistema de votação eletrônico resultou na descoberta de duas falhas graves nas urnas.
Um dos problemas foi encontrado nas urnas com áudio, destinadas a cegos. Segundo especialistas convidados pelo TSE, é possível que outras pessoas identifiquem o voto do deficiente através do som emitido pelo equipamento.
Outra falha grave encontrada foi a possibilidade de haver troca no número de votos atribuídos a determinado candidato após o fechamento das urnas.
O presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli, disse em entrevista que técnicos do TSE corrigirão as falhas antes das eleições municipais.
“Já conversamos com os nossos técnicos do tribunal, e isso é facilmente corrigível. O que mostra a vantagem desse tipo de teste, porque se verifica uma eventual vulnerabilidade a tempo de corrigi-la. Não chegaremos à eleição com esse tipo de vulnerabilidade”, justificou o ministro.