segunda-feira, 4 de julho de 2016

Quem ameaça e deseja matar Eduardo Cunha?

Quem ameaça e deseja matar Eduardo Cunha?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O Brasil já percebeu que Eduardo Cunha já morreu politicamente há muito tempo. A novidade agora é que o cadáver politicamente insepulto está com medo de ser morto na vida real. Cunha recebeu ameaçadores recados de que terá de cair sozinho. Já foi advertido que é temerário aderir a "colaborações premiadas". O homem que sabe quase tudo sobre todos - em um nível próximo ou maior que o sempre blindado Luiz Inácio Lula da Silva - tem tudo para ser alvo, nesta semana, de uma ordem de prisão emitida pelo Supremo Tribunal Federal.

Se o presidente afastado da Câmara não for preso formalmente, é sério candidato a vestir a indumentária da moda em tempos de Lava Jato: a tornozeleira eletrônica para monitoramento remoto. A decisão judicial contra Cunha pode determinar sua inédita suspensão de mandato - fato que precisa e tende a ser avalizado, sem pudores e com todo cínico pragmatismo, pela maioria dos parlamentares - muitos cotados para serem seus companheiros de cela. Cunha deve receber uma ordem, imediata, para desocupar a mansão oficial da Presidência da Câmara. O quartel-general das mordomias está com os dias contados.

Eduardo Cunha está extremamente magoado com todos os "traidores" que o cercam. Uma pessoa que ele não perdoa é a deputada evangélica Eronildes Vasconcelos Carvalho. Mais conhecida como Tia Eron, desde os tempos de professora militante, a parlamentar era considerada uma das melhores amigas de Cunha. Sempre que tinha chance, a parlamentar, de 44 anos, exaltava o trabalho de Cunha, pregando que a Câmara produziu como nunca sob a direção dele. Tia Eron, no entanto, detonou o amigo na aprovação do relatório a favor da cassação do mandato. Ficou famosa por advertir, no voto, que "ninguém mandava nessa nega"... O recado feriu de morte o coração de Cunha...

Fiel da Igreja Universal do Reino de Deus, e uma das fundadoras do PRB (partido ligado ao grupo liderado pelo bispo Edir Macedo), Tia Eron é uma experiente política. Acumulou três mandados seguidos de vereadora em Salvador. Popular em suas pregações, tornou-se a mais votada mulher baiana na eleição para deputada federal em 2014. A exemplo de Cunha e tantos outros membros do Congresso Nacional brasileiro, Tia Eron também tem problemas com o judiciário. Junto com mais trinta vereadores, ela alvo de uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa na 5a Vara de Fazenda Pública da capital soteropolitana. Sua prestação de contas da eleição passada é contestada pelo Ministério Público.

Cunha não quer saber o que vai acontecer com a ex-amiga Eron - que estava até cotada para ser candidata a vice na chama reeleitoral de ACM Neto à Prefeitura de Salvador. Cunha e seus advogados pagos a peso de ouro agora querem saber como podem salvar uma mulher mais importante para ele: a esposa Cláudia Cruz. A belíssima ex-apresentadora da Rede Globo corre sério perigo judicial. O processo contra ela e a filha Daniele corre na famigerada "República de Curitiba". Inimigos comentam que uma forma de quebrar a blindagem de Cunha é torcer para que o juiz Sérgio Fernando Moro decrete, a qualquer momento, a prisão de sua mulher e filha.

Amigos próximos, no entanto, garantem que isso pode levar Cunha a chutar o balde e partir para a delação premiada - que outros falsos amigos e inimigos fiéis especulam ser extremamente fatal para ele. O poderoso Cunha está ameaçado de morte. Só não é fácil responder, com toda precisão, quem ameaça e quem deseja acabar com a vida de Eduardo Cunha, caso ele tome a estratégica decisão temerária de abrir o bico contra antigos aliados.

Cunha foi oficialmente avisado pelo presidente Michel Temer que nada pode fazer para salvá-lo. Só tem uma ironia nessa História - talvez um alívio para o líder evangélico Cunha, que não perdoa a traição da Tia Eron e de outros mais ou menos votados: é verdadeira a recíproca em relação a Temer, com minguados 13% de aprovação na interinidade presidencial. A coisa no final de semana estava tão feia em Brasília que tinha maluco especulando, com muita seriedade, sobre um improvável retorno da Dilma Rousseff... A doideira foi fruto da reunião entre Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão...

A capital federal de Bruzundanga parece um luxuoso manicômio penitenciário a céu aberto, fiel à loucura da cabeça comunista que a projetou... Coisas lamentáveis do País da Olim-piada pronta...

Muitos candidatos à punição

Eduardo Cunha não é o único cabra marcado para morrer, caso resolve abrir o bico contra ex-amigos e eternos inimigos.

Um dos maiores juristas brasileiros, famoso por defender ilustres enrolados do mundo da politicagem, também pode aparecer com a boca cheia de formiga, se não ingressar, depressa, no Programa Nacional de Proteção a Testemunhas.

Em Brasília, há tantos candidatos a esse destino fatal, que ninguém arrisca garantir quem seria o homem citado pelo colunista Jorge Bastos Moreno, de O Globo, na enigmática notinha da coluna de sábado:

"Renomado advogado, considerado um dos melhores do País, soube que estava na mira das investigações (da Lava Jato). Não pensou duas vezes: procurou investigadores para oferecer tudo que sabe sobre o Judiciário - e relatou detalhes da relação nada republicanas com integrantes do Superior Tribunal de Justiça e também do Supremo Tribunal Federal. Detalhe: entregou o nome de Ministros".

Lava Toga

A nota do Moreno, que pode contribuir para muitas mortes prematuras por ataques cardíacos, deve turbinar uma campanha batizada nas redes sociais de "Lava Toga"...

A Corregedora Nacional de Justiça, Fátima Nancy Andrighi, vai ter muito mais trabalho pela frente, se a estorinha revelada pelo Moreno vingar...

Pior do que isso só o que Sérgio Guerra pode revelar de bombástico, depois dos 20 dias de prazo que pediu ao ministro Teori Zavascki...

A guerra de todos contra todos os poderes ainda produzirá muitas baixas e vítimas fatais no Brasil...

Releia nossos artigos:

O Exemplo de uma Magistrada

Carta Aberta a Eduardo Cunha


Bela defesa do Bolsonaro


Senador Magno Malta faz uma grande defesa do deputado Federal Jair Bolsonaro - pregando que o STF extrapolou ao torná-lo alvo de processo por suposta "apologia ao estupro"...

Encomenda necessária


Releia o artigo de sábado: "Minha Tornozeleira eletrônica, minha vida"

Comparação temerária


Dá pra comparar?


Convocação Cívica